Saúde, infraestrutura e maior acessibilidade foram assuntos na última sessão: veja

118

A 33ª Sessão Ordinária da Câmara de São Lourenço, realizada nesta segunda-feira (14.10), terminou com a aprovação de cinco requerimentos. O primeiro foi de autoria da Comissão de Assistência Social, Direitos Humanos e Saúde, formada pelos vereadores Ricardo de Mattos (PMN), Orlando da Silva Gomes (PRB) e Rodrigo Martins de Carvalho (PSB). No texto, convocam o secretário de saúde Wilton José Negreiros para prestar informações sobre o Consórcio Intermunicipal, a UPA e o Pronto Socorro. Evaldo José Ambrósio (PROS) fez um adendo, solicitando que o setor de Urologia do Centro Viva Vida seja parte do debate.

Orlando da Silva Gomes pediu ao Executivo as cópias dos extratos bancários das contas do SAAE, inclusive de convênios de 2018 até a presente data, assim como dos pagamentos feitos a todas as empresas que prestam serviço à autarquia. O vereador também enviou outro documento, no qual questiona se há previsão de aumento da tarifa de água e esgoto.

Ricardo de Mattos (PMN) perguntou à Prefeitura se houve empréstimo de oxigênio à cidade vizinha Carmo de Minas. Ele também solicitou informações a respeito do funcionamento das ambulâncias de São Lourenço.

Renato Motta de Carvalho (AVANTE) indagou ao Executivo se existem brinquedos e equipamentos de ginástica adaptados para pessoas com deficiência instalados em locais públicos de São Lourenço. Ricardo de Mattos apresentou um adendo pedindo maior atenção na manutenção dos playgrounds e academias ao ar livre do município.

Em tramitação

Entraram em pauta os projetos 2962 e 2963/2019, que nomeiam de “Adeury da Costa Pereira” e “Ermelino João Pugliese” as atuais Ruas 03 e 02 do Loteamento Residencial Parque da Mata, respectivamente.  Os textos são de Ricardo de Mattos (PMN) e Evaldo José Ambrósio (PROS), nessa ordem. As Comissões de Legislação, Justiça e Redação Final irão emitir pareceres antes da matéria entrar em votação no Plenário.

Ordem do Dia

Nesta última sessão, o Decreto 304/2019, que entrou em pauta na semana passada (07.10), foi aprovado pela Câmara Municipal. O documento em questão autoriza o Poder Legislativo a devolver o valor de R$25 mil à Prefeitura antes do encerramento do exercício financeiro.