Vereadores aprovam LDO e enviam Moção de Repúdio a Pimentel por atraso nos salários de servidores estaduais

96
Funcionários estaduais da educação reivindicam melhorias

A Câmara de São Lourenço aprovou nesta segunda-feira (16.09) a Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2019. O texto define quais serão as prioridades dos gastos do município no ano que vem. Entre os custos previstos estão a manutenção de serviços básicos na cidade, como aqueles das áreas da saúde e educação, folha de pagamento de funcionários e a construção de abrigos em diversos pontos de ônibus.

Ao todo, 20 emendas que definem outras despesas foram aprovadas. Algumas delas são a criação do Programa Anual de Reciclagem dos Multiprofissionais da Saúde (Ricardo de Mattos), a implantação de creches em vários bairros de São Lourenço (proposta por vários vereadores), e a construção de uma academia ao ar livre na Ilha Antônio Dutra, de uma ciclovia na Via Ramon e de uma passarela ou ponte ligando a Avenida Dom Pedro II ao teleférico (estas últimas de Rodrigo Martins).  O projeto deve ser sancionado pelo prefeito Leonardo Sanches.

Moção de Repúdio

Em apoio à causa dos servidores estaduais, que estão desde o início do ano recebendo salários de forma parcelada e com atrasos, a Câmara de São Lourenço enviará uma Moção de Repúdio ao Governo de Minas. O texto foi aprovado por unanimidade e cobra ade Fernando Pimentel a regularização dos pagamentos o mais rápido possível.

Dezenas de funcionários e alunos da rede estadual de ensino acompanharam a discussão da moção na Câmara Municipal e reivindicaram o acerto do salário. “Este mês só veio a metade do pagamento. Se houve dinheiro, o restante será depositado no dia 25. Não pra continuar assim. As contas atrasam e depois temos que arcar com os juros, que são muito alto, principalmente os do cartão de crédito”, desabafou Pedro Paulo Santos, professor de apoio e intérprete de libras.

O presidente da Câmara e autor da Moção de Repúdio, Ricardo de Mattos, afirmou que a situação está insustentável: “São funcionários que merecem e mais do que isso, têm o direito de receber. O dinheiro é deles, pois trabalharam para conquistá-lo”. Um trecho do documento, que será encaminhado ainda nesta terça-feira (17.07) à Belo Horizonte, ressalta: “O salário do servidor público é sua fonte de sobrevivência, é o que põe a comida na mesa de milhares de famílias mineiras. Não podemos aceitar tamanho desrespeito”.

Esta foi a última sessão ordinária antes do recesso parlamentar. As atividades legislativas retornam no dia 13 de agosto. Todas as repartições da Câmara Municipal de São Lourenço funcionarão normalmente durante o período.