Não perca: posse dos vereadores mirins de São Lourenço e inauguração da exposição “O Olhar da Criança sobre a Pandemia”

64

Os vereadores mirins de São Lourenço já foram eleitos e está chegando o momento de empossá-los. No dia 22 de junho, às 18h, a Câmara irá diplomar os alunos mais votados nas instituições de ensino Manoel Monteiro, Polivalente, Humberto Sanches, Alere, Dom Ferraz e COC. O presidente da Associação Brasileira de Escolas do Legislativo (ABEL), Florian Madruga, do Senado Federal, confirmou presença no evento.

A Câmara Mirim é um projeto da Escola do Legislativo de São Lourenço. As atividades são voltadas a alunos do Ensino Fundamental II (6º a 9º ano) das redes pública e privada. Por meio dessa iniciativa, os jovens atuam como vereadores e realizam reuniões análogas às sessões ordinárias de uma Câmara Municipal. Eles podem, por exemplo, levantar demandas do município, buscar soluções e enviar solicitações ao Poder Público. O mandato é de um ano. Ao longo desse período, há oficinas sobre a Constituição Federal. Alguns assuntos abordados são a divisão dos três poderes e atribuições de cada um deles, tributação e organização do Estado.

A ação pretende aproximar crianças e adolescentes do Poder Legislativo e de assuntos de interesse público, despertando o princípio da ética e a consciência da cidadania aliada à responsabilidade com o meio social e a comunidade, por meio da criação de espaços para o desenvolvimento e entendimento dos anseios dos jovens.

A Câmara Mirim é composta por um número ímpar de vereadores, os quais são escolhidos dentro das escolas parceiras. Cada estabelecimento de ensino pode ter dois representantes, um titular e um suplente. No caso de haver uma quantidade par de instituições inscritas, aquela com mais alunos elege quatro participantes. É vedada a atuação de partidos políticos, o uso de símbolos e outras formas que os identifiquem

Exposição “O Olhar da Criança sobre a Pandemia”

No mesmo dia haverá a inauguração da exposição interativa “O Olhar da Criança sobre a Pandemia”, realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, por meio dos CEMEIS Carolina Forastieri, Cida Costa, Santa Marcelina e das escolas Coronel Manoel Dias Ferraz, Frei Osmar Dirks, Ismael Junqueira de Souza, Manoel Monteiro e Melo Viana, além da Eurípedes Prazeres (rede estadual).

A mostra busca retratar o olhar das crianças sobre as experiências vividas e acontecimentos vistos por elas durante a pandemia do coronavírus, por meio de pinturas feitas pelas mesmas de forma individual ou em conjunto.  Haverá um mural para cada instituição. As creches e pré-escolas apresentarão uma única peça, confeccionada por todos os alunos em cartolina. Já as instituições de Ensino Fundamental I (1º a 5º ano) exibirão seis trabalhos em folha A4, cada qual feito por um estudante diferente.

“A icônica obra “O Grito”, escolhida para servir de inspiração para a exposição, foi trabalhada pelos professores em sala de aula antes dos alunos confeccionarem os desenhos”, ressaltou a diretora da Escola do Legislativo de São Lourenço, Daniela Bacha.  A pintura do artista Edvard Munch mostra um momento de dificuldade e é vista como um símbolo da ansiedade da condição humana. Suas cores são vibrantes e chamativas.

A obra original, de 1893, é um marco do movimento expressionista, porém a história dela enquanto ícone cultural começou somente no período pós 2ª Guerra Mundial. Com a sua crescente popularização, “O Grito” se tornou uma das pinturas mais reproduzidas pela humanidade e foi absorvida pelo universo pop, aparecendo em canecas, almofadas e camisetas e produções audiovisuais. Serviu, por exemplo, de inspiração para a máscara da série de filmes “Pânico”.